Dia Mundial de Combate à AIDS – 01/12

Desde que os primeiros casos de HIV foram relatados, há mais de 35 anos, 78 milhões de pessoas foram infectadas com o HIV e 35 milhões morreram de doenças relacionadas à AIDS. Em 2019, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), ainda havia 38 milhões de pessoas vivendo com a infecção pelo HIV. Por isso, o dia Mundial de Combate ao HIV/AIDS é, sobretudo, uma maneira de sensibilizar a população sobre o aumento de infecções pelo vírus.

Impacto da COVID-19 no tratamento de HIV

Um estudo de modelagem da OMS e da Organização das Nações Unidas (UNAIDS) mostrou que a interrupção de seis meses no acesso aos medicamentos para HIV poderia levar a uma duplicação das mortes relacionadas à AIDS na África subsaariana somente em 2020.

Perturbações econômicas causadas pela COVID-19 podem tornar os serviços de HIV inacessíveis, pois os profissionais que atuam na linha de frente na área da saúde não conseguem fornecer serviços de HIV contínuos e de alta qualidade para todos que precisam deles, interferindo nas cadeias de abastecimento e na prestação de serviços. Em julho de 2020, um terço das pessoas em tratamento para o HIV tiveram rupturas de estoque de medicamentos ou interrupções no fornecimento.

Tratamento

No Brasil, todas as pessoas diagnosticadas com HIV recebem tratamento gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O tratamento traz vários benefícios: diminui as complicações relacionadas às infecções pelo HIV, reduz e previne a transmissão do vírus, melhora a qualidade de vida da pessoa e diminui a mortalidade.

Os medicamentos antirretrovirais reduzem a quantidade de vírus circulante no corpo da pessoa portadora de HIV, fazendo com que está alcance a chamada “carga viral indetectável”. Pessoas que vivem com HIV com carga viral indetectável têm uma possibilidade insignificante de transmitir o vírus para outra pessoa em relações sexuais desprotegidas.

Prevenção

O uso correto e consistente de preservativos masculinos e femininos durante a penetração vaginal ou anal pode proteger contra a propagação de DSTs, incluindo infecção por HIV. Faça o teste de HIV regularmente e, se o resultado for positivo, inicie o tratamento o mais rápido possível. Procure um profissional de saúde e informe-se sobre as maneiras de prevenção e tratamento do HIV.

Conheça as Pós-graduações FGMED

As pós-graduações do FGMED são reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC). A formação de especialista será concedida após aprovação na prova de título. Além disso, é necessário que o médico preencha todos os pré-requisitos exigidos pela sociedade brasileira da especialidade em questão.

Informe-se sobre todas as condições diretamente com um consultor. Preencha o formulário abaixo ou entre em contato pelo 0800 11 11 11.

    Related Posts