Análise de esgoto poderá dar pistas do avanço do coronavírus e driblar falta de testes, afirmam pesquisadores

A análise do esgoto poderá ajudar pesquisadores e governos a mensurar o avanço do coronavírus e estimar o quanto uma comunidade ou cidade foi afetada pela pandemia, de acordo com a revista Nature.

A medida é apontada como uma alternativa à escassez de testes específicos para detectar a presença do vírus na população – e serve para ter uma análise geral da pandemia, e não para casos individuais.

 Até agora, os pesquisadores encontraram vestígios do vírus em esgotos da Holanda, Estados Unidos e Suécia.

Embora não haja comprovação de que o Sars-CoV-2, o novo coronavírus, possa contaminar pela urina ou fezes, a análise de águas residuais – que passa pelo sistema de drenagem até uma estação de tratamento – é uma maneira de os pesquisadores rastrearem doenças infecciosas e pode dar às autoridades uma vantagem para determinar medidas de bloqueio.

Estudos mostraram que o Sars-CoV-2 pode aparecer nas fezes dentro de três dias após a infecção – muito antes das duas semanas, em média, que os pacientes infectados levam para desenvolver sintomas graves e obterem um exame diagnóstico oficial.

Conheça as Pós-graduações FGMED

As pós-graduações do FGMED são certificadas pelo Ministério da Educação (MEC). A formação de especialista será concedida após aprovação na prova de título. Além disso, é necessário que o médico preencha todos os pré-requisitos exigidos pela sociedade brasileira da especialidade em questão.

Informe-se sobre todas as condições diretamente com um consultor. Preencha o formulário abaixo ou entre em contato pelo 0800 11 1111.

Faça sua pós-graduação no FGMED