Associação da depressão juvenil com doenças somáticas subsequentes e morte prematura - FGMED - Pós-Graduação Médica

Associação da depressão juvenil com doenças somáticas subsequentes e morte prematura

Um estudo publicado no JAMA Psychiatry concluiu que a depressão na adolescência pode estar associada a maiores riscos de mortalidade prematura. O estudo, que contou com 17.415 participantes, teve a finalidade de quantificar a associação do diagnóstico subsequente de doenças somáticas e mortalidade com a depressão juvenil.
Concluiu ainda que a saúde mental na infância e adolescência foi associada a um risco maior de mortalidade prematura após os 28 anos de idade e níveis menos favoráveis de biomarcadores.
Além disso, as associações com biomarcadores na meia-idade foram mais comumente vistas em indivíduos do sexo feminino.

No entanto, não está claro até que ponto esse transtorno está associado a doenças específicas e morte prematura e se essas associações permanecem após o controle da comorbidade psiquiátrica.

 

O estudo

Foram analisados biomarcadores de 9.377 participantes de 44 a 45 anos de idade, sendo 50,3% do sexo Feminino; e dados de mortalidade de 15.067 participantes entre 58 anos de idade, sendo 49,0% do sexo feminino.

Do total, 37.185 pacientes receberam cuidados médicos ou internação para depressão entre 5 e 19 anos de idade (idade média no primeiro diagnóstico registrado de depressão)

A idade final variou entre 17 e 31 anos de idade.

Por fim, os pesquisadores estudaram 69 doenças somáticas diagnosticadas após depressão na adolescência e mortalidade por causas específicas, e concluíram que pacientes com depressão juvenil tiveram maiores riscos relativos para 66 dos 69 diagnósticos somáticos.

 

Associação entre depressão na juventude e mortalidade precoce

Pacientes com diagnóstico de depressão durante a juventude parecem ter maiores riscos para adquirir doenças somáticas, bem como para mortalidade. Quando associados com comorbidade psiquiátrica, especialmente transtornos por uso de substâncias e transtornos de ansiedade, os riscos relativos diminuíram, mas persistiram.

Assim sendo, este estudo apresenta evidências que sugerem uma associação entre depressão na juventude e mortalidade, fornecendo uma base para pesquisas futuras que pode mudar a distribuição de risco e melhorar a saúde da população, desde que outras condições médicas sejam consideradas ao investigar a depressão em jovens.

Conheça as Pós-graduações FGMED

As pós-graduações do FGMED são reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC). A formação de especialista será concedida após aprovação na prova de título. Além disso, é necessário que o médico preencha todos os pré-requisitos exigidos pela sociedade brasileira da especialidade em questão.

Informe-se sobre todas as condições diretamente com um consultor. Preencha o formulário abaixo ou entre em contato pelo 0800 111 111.

 

Fonte: JAMA Psychiatry.