Anvisa aprova primeiro antidepressivo em versão inalável

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta semana, o cloridrato de escetamina, um antidepressivo em versão inalável. Ele é indicado para adultos com depressão resistente a tratamentos convencionais e para indivíduos com transtorno depressivo maior (TDM) que tenham pensamentos ou tendências suicidas. A droga começa a fazer efeito logo após a inalação e só pode ser administrada na presença de uma profissional da saúde, para garantir seu uso de forma correta, informa a Agência.

Como funciona o cloridrato de escetamina

O cloridrato de escetamina ativa áreas do cérebro ligadas à emoção, em contrapartida os antidepressivos tradicionais atuam para aumentar a quantidade de neurotransmissores relacionados à sensação de prazer e bem-estar. Os resultados da terceira fase do estudo mostram que ele age em poucos dias, enquanto os antidepressivos tradicionais levam até oito semanas para começarem a agir. O remédio é produzido pelo laboratório Janssen.

Liberado nos EUA

Nos Estados Unidos, os médicos já fazem uso da escetamina inalável desde 2019. O fármaco foi considerado uma revolução no tratamento da depressão resistente. Lá, o medicamento também é administrado somente sob acompanhamento médico.

Efeitos colaterais

Durante a pesquisa, os principais efeitos colaterais relatados foram dissociação, tontura, náusea, sedação, sensação de girar, visão embaçada, sentido reduzido de toque e sensação, ansiedade, falta de energia, pressão arterial elevada, vômito, parestesia e sensação de embriaguez.

De acordo com o diretor médico da Janssen Brasil, Fabio Lawson, “Estamos muito orgulhosos em disponibilizar a escetamina intranasal para pacientes brasileiros com tipos de depressão bastante incapacitantes, para os quais as opções de tratamento eram escassas”.

Por último, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) 300 milhões de pessoas sofrem de depressão, uma doença que pode ser incapacitante e constantemente é subestimada. Os casos mais graves podem levar ao suicídio.

Conheça as Pós-graduações FGMED

As pós-graduações do FGMED são reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC). A formação de especialista será concedida após aprovação na prova de título. Além disso, é necessário que o médico preencha todos os pré-requisitos exigidos pela sociedade brasileira da especialidade em questão.

Informe-se sobre todas as condições diretamente com um consultor. Preencha o formulário abaixo ou entre em contato pelo 0800 11 1111.

Leia mais notícias e artigos

Está pronto para um upgrade
na sua carreira?

    Quero mais

    INFORMAÇÕES


    Preencha o formulário
    e em breve entraremos em contato.

    Pronto!
    Agora é só aguardar o nosso contato.

    Usamos cookies em nosso site para fornecer a experiência mais relevante, lembrando suas preferências em visitas repetidas.
    Ao clicar em “Aceitar”, você concorda com o uso de TODOS os cookies. Para mais informações consulte nossa Política de Privacidade.