Anvisa libera uso da cloroquina, porém Ministério da Saúde pede cautela

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

As normas para o uso do medicamento foram publicadas em nota informativa do Ministério da Saúde. A ANVISA liberou o uso da cloroquina apenas para pacientes hospitalizados e em estado grave, além de determinar a dose específica do medicamento.  Para o tratamento da Covid-19 a Anvisa sugere 6 dias de tratamento com hidroxicloroquina ou hidroxicloroquina em associação com azitromicina.

Segundo a nota “O Ministério da Saúde do Brasil disponibilizará para uso, a critério médico, o medicamento cloroquina como terapia adjuvante no tratamento de formas graves, em pacientes hospitalizados, sem que outras medidas de suporte sejam preteridas em seu favor. A presente medida considera que não existe outro tratamento específico eficaz disponível até o momento.”

Ainda segundo a nota “cada paciente receberá 2 blister c/ 10 comprimidos, para evitar fracionamento. Nenhuma UF receberá menos de 4 caixas (2.000 comprimidos)“. O envio dos fármacos será feito pelo Ministério da Saúde às Secretarias de Saúde dos municípios que serão responsáveis pelo repasse dos remédios para os hospitais de referência. Estava previsto para a última sexta-feira (27) o primeiro envio das caixas de cloroquina e hidroxicloroquina.

Porém, para o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, o uso da cloroquina precisa ser moderado e acompanhado de perto: “Para que possamos assinar que o ministério recomenda o uso, precisamos de mais tempo”, apontou o ministro.

O Ministério da Saúde também ressalta que tanto a cloroquina quanto a hidroxicloroquina são medicamentos “indicados para o tratamento das doenças artrite reumatoide e artrite reumatoide juvenil (inflamação crônica das arculações), lúpus eritematoso sistêmico e discoide, condições dermatológicas provocadas ou agravadas pela luz solar e malária“.

Atualmente, nove ensaios clínicos brasileiros sobre o uso do medicamento estão em andamento, com previsão de resultados preliminares em 20 de abril. O ministro voltou a recomendar o uso das máscaras de TNT ou algodão para a população em geral e ressaltou: “Quem tiver máscaras N95, por favor, vá até o hospital e deixe lá. No dia a dia utilize de TNT ou algodão que funciona muito bem”.

Conheça as Pós-graduações FGMED

As pós-graduações do FGMED são certificadas pelo Ministério da Educação (MEC). A formação de especialista será concedida após aprovação na prova de título. Além disso, é necessário que o médico preencha todos os pré-requisitos exigidos pela sociedade brasileira da especialidade em questão.

Informe-se sobre todas as condições diretamente com um consultor. Preencha o formulário abaixo ou entre em contato pelo 0800 11 1111.

Leia mais notícias e artigos

Está pronto para um upgrade
na sua carreira?

    Quero mais

    INFORMAÇÕES


    Preencha o formulário
    e em breve entraremos em contato.

    Pronto!
    Agora é só aguardar o nosso contato.

    Usamos cookies em nosso site para fornecer a experiência mais relevante, lembrando suas preferências em visitas repetidas.
    Ao clicar em “Aceitar”, você concorda com o uso de TODOS os cookies. Para mais informações consulte nossa Política de Privacidade.