Estudo busca compreender manifestação precoce do Mal de Parkinson

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Um novo estudo investigando a origem da doença de Parkinson teve início. O objetivo foi identificar, em pacientes com manifestação precoce do Parkinson — diagnosticados entre os 21 a 50 anos de idade —, o que pode ter dado “errado” nestas células em sua formação.

Para tal, os cientistas geraram as chamadas células-tronco pluripotente induzidas. Estas são geradas levando células adultas ao seu estado primitivo embrionário. Assim, as células-tronco pluripotente induzidas podem produzir qualquer tipo de célula do corpo humano, e geneticamente idêntica às células do paciente em si.

No laboratório, a equipe detectou duas anormalidades importantes nestes neurônios: o acúmulo de uma proteína chamada alfa-sinucleína, presente na maioria das manifestações de Parkinson; e lisossomos defeituosos, estruturas celulares que funcionam como “latas de lixo” para decomposição e descarte de proteínas e material celular. Justamente esse mau funcionamento pode levar ao acúmulo da alfa-sinucleína.

Os pesquisadores dizem esperar que, com estas descobertas, um dia possa ser possível detectar — e tratar — o Parkinson preventivamente, inclusive em jovens.

Conheça as Pós-graduações FGMED

As pós-graduações do FGMED são certificadas pelo Ministério da Educação. A formação de especialista será concedida após aprovação na prova de título. Além disso, é necessário que o médico preencha todos os pré-requisitos exigidos pela sociedade brasileira da especialidade em questão.

Informe-se sobre todas as condições diretamente com um consulto. Preencha o formulário abaixo ou entre em contato pelo 0800 111 111.

Leia mais notícias e artigos

Está pronto para um upgrade
na sua carreira?

    Quero mais

    INFORMAÇÕES


    Preencha o formulário
    e em breve entraremos em contato.

    Pronto!
    Agora é só aguardar o nosso contato.

    Usamos cookies em nosso site para fornecer a experiência mais relevante, lembrando suas preferências em visitas repetidas.
    Ao clicar em “Aceitar”, você concorda com o uso de TODOS os cookies. Para mais informações consulte nossa Política de Privacidade.