Israel cria máscara aquecida que mata o novo coronavírus

Pesquisadores israelenses anunciaram que criaram uma máscara reutilizável que pode matar o coronavírus com calor, consumindo energia de carregadores de celular, via USB. O processo de desinfecção leva cerca de 30 minutos e chega a 70° Celsius.

Durante a testagem, o protótipo foi submetido a 20 ciclos de aquecimento, um a cada meia hora, sem afetar sua durabilidade. Os pesquisadores garantem que podem garantir até algumas dezenas de ciclos, sem nenhum risco.

Yair Ein-Eli, chefe da pesquisa, comentou que as máscaras descartáveis comuns não são econômicas e nem ecológicas. “Você precisa torná-la reutilizável e ecológica, e esta é a nossa solução”, comenta. Ele alerta que os usuários só devem usar a máscara enquanto ela estiver desconectada do carregador.

Os cientistas apresentaram uma patente para a máscara nos Estados Unidos no final de março e estão discutindo sobre a comercialização da mesma com empresas interessadas na produção.

Conheça as Pós-graduações FGMED

As pós-graduações do FGMED são certificadas pelo Ministério da Educação (MEC). A formação de especialista será concedida após aprovação na prova de título. Além disso, é necessário que o médico preencha todos os pré-requisitos exigidos pela sociedade brasileira da especialidade em questão.

Informe-se sobre todas as condições diretamente com um consultor. Preencha o formulário abaixo ou entre em contato pelo 0800 11 1111.

Estude em casa com o FGMED