Pesquisa com peixe pode ajudar no desenvolvimento de novos medicamentos

Com a ajuda de um peixinho que possui 70% de similaridade genética com os humanos, cientistas do Laboratório Nacional de Nanotecnologia, em Campinas (SP), testaram um nanomaterial capaz de se ligar a moléculas e proteínas com potencial para aplicação futura nas áreas de saúde, biotecnologia e meio ambiente.

Na avaliação dos cientistas, a nanopartícula mostrou-se promissora para o desenvolvimento de novos medicamentos e aplicações para tratamento de câncer, na busca por diagnósticos, além de remoção e detecção de poluentes ambientais.

A expectativa do grupo é que os próximos passos possam contar com o uso do Sirius, laboratório de luz síncrotron de 4ª geração que irá substituir o acelerador em uso. Com isso, os experimentos poderão ser realizados em menor espaço de tempo, com maior qualidade e quantidade de dados obtidos.

Conheça as Pós-graduações FGMED

As pós-graduações do FGMED são certificadas pelo Ministério da Educação. A formação de especialista será concedida após aprovação na prova de título. Além disso, é necessário que o médico preencha todos os pré-requisitos exigidos pela sociedade brasileira da especialidade em questão.

Informe-se sobre todas as condições diretamente com um consulto. Preencha o formulário abaixo ou entre em contato pelo 0800 111 111.

Inscreva-se

    Related Posts