Dia do infectologista: 10 curiosidades sobre a especialidade

Estabelecido pela Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), comemora-se o Dia do Infectologista em 11 de abril. A data é celebrada desde 2006 em homenagem ao dia do nascimento do médico Emílio Ribas, referência na área de doenças infecciosas no Brasil.

O infectologista é responsável por diagnosticar doenças infecciosas que podem ser causadas por vírus, bactérias, fungos, parasitas e outros microrganismos que provocam doenças infecciosas como AIDS, gripe, dengue, febre amarela, sarampo, hepatites virais, tuberbulose e, em especial, a Covid-19. Por conta da pandemia do novo coronavírus, essa profissão está em evidência no mercado de trabalho.

Conheça 10 curiosidades sobre essa especialidade:

1 – Um infectologista pode atuar em diversas áreas: Infectologia Hospitalar, Infectologia Ambulatorial, Infectologia em Saúde Pública, Interconsultas em Infectologia, Imunossuprimidos não-AIDS e Controle de infecção Hospitalar.

2 – Mercado de trabalho: Segundo a Sociedade Brasileira de Infectologia, há cerca de 3700 infectologistas registrados no Brasil. Isso quer dizer que cada vez mais essa especialidade vem se tornando opção para médicos.

3 – Salário de um Infectologista: Este profissional ganha em média R$ 7.000 ao mês, trabalhando 20 horas semanais, mas este valor pode varia de acordo com a carga horária do médico e o local escolhido para atuação.

4 – Residência em Infectologia: Os programas de residência em Infectologia precisam ser credenciados pela Comissão Nacional de Residência Médica. O tempo de duração é de três anos e não exigem pré-requisitos.

5 – O que este profissional faz? Disponibiliza diagnóstico, tratamento e acompanhamento dos pacientes acometidos por doenças infecciosas, que são responsáveis por grande parte das consultas médicas ambulatoriais e em pronto-socorro.

6 – Essencial: O Infectologista é um profissional essencial para a prática médica e a saúde pública.

7 – Perfil de um infectologista: É preciso gostar de ciências médicas, biologia e micrologia. Esta especialidade requer muita empatia e sensibilidade com o próximo, bom relacionamento com a vida humana e muita disposição para ajudar o paciente.

8 – Como ser infectologista? É necessário concluir o curso de Medicina e realizar residência médica em Infectologia. Após a graduação, o profissional estudará, em média, mais três anos na residência e especialização médica.

9 – O que essa especialidade precisa? De profissionais qualificados, estando sempre atualizados sobre temas da área e com desejo de mudar vidas.

10 – Rotina de trabalho: Não há uma carga horária fixa, cada médico opta por trabalhar na área que deseja, tais como: ambulatório, com consultas, infectologia geral ou áreas específicas, como hanseníase e HIV (serviço público ou particular).

 

Saiba mais sobre esta especialidade e conheça as Pós-graduações FGMED

As pós-graduações do FGMED são reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC). A formação de especialista será concedida após aprovação na prova de título. Além disso, é necessário que o médico preencha todos os pré-requisitos exigidos pela sociedade brasileira da especialidade em questão.

Informe-se sobre todas as condições diretamente com um consultor.

Preencha o formulário abaixo ou entre em contato pelo 0800 111 111 ou (11) 97159-0071 (WhatsApp).

    Related Posts